5 de fev de 2013

Da escrita



Paul não precisava de um psiquiatra para lhe dizer que escrever também tinha o seu lado auto-erótico — você toca a máquina, não a sua pele, mas qualquer um desses gestos estava intimamente ligado à velocidade dos sentidos, à agilidade das mãos e à entrega sincera da arte de fingir.

Stephen King  - Angústia


Um comentário:

Leon Nunes disse...

Bom excerto de livro, Tânia. Escolheste bem esta postagem.

Seguidores

 

© 2009À LitFan | by TNB